Textos

Etiquetas

Tipos

Arquivo

Please reload

Please reload

Please reload

“Todas as guerras representam uma falha diplomática”
Tony Benn

         Não há vácuo de poder. Na geopolítica, não há inércia. Mas, no Brasil, desafiamos a lógica e o funcionamento convencional das coisas: a atual administração está inserindo o país num papel cada vez mais passivo e criando um imenso vazio conceitual, uma destruição sistemática das estruturas previamente construídas.

         A tensão entre Brasil e Venezuela levanta o questionamento constante sobre a possibili...

          No Brasil, assim como praticamente todas as coisas, a política é o campo do inexplicável, do ilógico. As coisas não funcionam como deveriam funcionar, ou como esperamos que elas funcionassem. Os processos não são exatamente formais, lógicos e sequenciais, mas, geralmente, inesperados, imprevisíveis, heterodoxos. Somos o país do mas, do porém, dos “imprevistos” não tão imprevisíveis assim – e, claro dos “acidentes” programados.

         Desde o processo eleitoral em 2...

         

          O italiano Niccolò di Bernardo dei Machiavelli, mais conhecido como Maquiavel, foi um importante pensador político da Florença do século XV. Sua obra mais importante, intitulada “O Príncipe”. Maquiavel descreveu as relações de poder da época, e suas narrativas continuam incrivelmente atuais – especialmente quando percebemos a dinâmica de poder no Brasil.

          “Aos amigos, os favores; aos inimigos, a Lei”, uma das máximas mais famosas...

          No dia 26 de novembro de 2018, foi realizado um importantíssimo evento sobre geopolítica, relações internacionais e economia (principalmente por meio de uma abordagem histórica). Ocorrido na Universidade Presbiteriana Mackenzie, o evento intitulado “Direito, Subdesenvolvimento e Relações Internacionais na América Latina” contou com a presença dos professores Gilberto Bercovici (Universidade de São Paulo e Universidade Presbiteriana Mackenzie), Helid Raphael de Carva...

1. O Resultado Político como uma Manifestação da Interpretação do Consciente

          Para quem é jovem, mas nem tão jovem assim, o nosso último processo eleitoral foi um tanto espantoso. Nunca passamos, de 1989 até hoje, por um processo tão polarizado e violento. Inúmeros fatores adicionais podem explicar tanto a polarização como a intensidade: redes sociais, aplicativos de comunicação, a vida on-line como um emprego integral de quase todo indivíduo. Como em todo processo de...

Formação do Poder Político

            O processo de construção do regime republicano no Brasil, em substituição à monarquia em 1889, não foi acompanhado de fortalecimento das instituições do Estado, do poder político, tão necessário para ordenar setores considerados estratégicos do país. No fundo, não havia conceitualmente noção do que era “estratégico” no âmbito da economia política nacional. Outra questão também a mencionar era a ascensão dos poderes regionais, estaduais que concorriam com o g...

Com todo o processo político conturbado e o desmantelamento do Brasil enquanto entidade parece que o termo “elite” tornou-se totalmente indesejável, destituído de significado e mesmo um condensador de tudo o que deve ser combatido. É verdade: parcelas significativas daqueles que exercem cargos de governo e que estão em posições-chave estão entranhadas em esquemas de corrupção, sabotagem e desinformação.

Mas isso não significa que uma elite seja essencialmente ruim, nem que o próprio termo seja ne...

          Há um vazio existencial na política brasileira. A crise material é mero reflexo duma crise de projeto, uma crise profunda. Não há um projeto de nação, não há a consideração em relação a um legado. O ontem é esquecido e o amanhã é negado. As figuras que ocupam as posições-chave do país são guiadas essencialmente por um script, um cronograma imediatista: eles precisam cumprir ações para hoje, o mais rápido possível.

         Ações essencialmente vazias, cujo único inte...

Estamos testemunhando um processo de criação artificial duma atmosfera de renovação moral, a ação de esquadrinhar a corrupção e saná-la em suas origens. Um processo falso em si mesmo, já que essas origens não são (nem nunca foram) desconhecidas; aliás, grande parte de seus próprios agentes hoje compõem a mesma casta que se arroga moralidade, civismo e que ergue os estandartes da luta contra a corrupção.

Presenciamos uma “revolução silenciosa” de caráter antipopular, essencialmente elitista, técni...